Coworking: Coisas a ter em mente

Coworking: Coisas a ter em mente

O que é coworking

Coworking é uma nova forma de trabalhar, ideal para freelancers e pessoas que deixaram de trabalhar para outra pessoa e que precisam sair de casa para trabalhar. O termo refere-se tanto à forma como um profissional ou executivo desempenha suas tarefas profissionais (ou seja, à organização do trabalho: assalariado, autônomo em minha casa ou autônomo em coworking).

E podemos nos referir a um coworking como o espaço onde a tarefa é desenvolvida (Escritório de coworking). Ou seja, as dependências físicas onde se encontram diariamente uma série de pessoas com interesses diferentes, mas objetivos comuns (autorrealização, encontrar um espaço para se relacionar e interagir, ter serviços de escritório etc.).

Este espaço oferece os mesmos serviços de um escritório tradicional: controle de acesso, endereço físico e postal,  diferentes tipos de aluguel de espaço, cozinha, banheiros, impressora e scanner, aluguel de salas por hora, espaço compartilhado e etc. mas a um preço muito interessante.

Resumindo, o coworking é um novo estilo de vida profissional transparente, sem formalidades e em comunidade com outros profissionais com as mesmas aspirações que você.

 

Vantagens de um coworking

Para nós, o melhor do coworking é a flexibilidade que ele oferece, em todos os sentidos.

Flexibilidade para negociar os horários em que usará o coworking: um único dia, uma semana, um mês etc. Você pode até negociar o pagamento da parte proporcional aos dias do mês se for trabalhar assim que terminar o mês.

Encontro de profissionais que enfrentam o ostracismo doméstico: ir de casa para um lugar “comunitário” é maravilhoso. Encontrar-se na máquina de café ou ao lado de uma nova pessoa com um passado e um presente diferentes dos seus quase todos os dias é muito enriquecedor. Basta trocar alguns minutos de cortesia para perceber quem você tem ao seu lado, e quem sabe se pode colaborar em um projeto com ela. Isso é Co trabalhar.

Nesse sentido, no coworking você encontra pessoas abertas e agradáveis ​​que se cumprimentam ao entrar ou sair do escritório. E, como tudo na vida, há pessoas que se comportam como se você não existisse.

Com um pouco de empatia, você percebe que o coworking é um universo reduzido de uma população: tem gente que você gosta, você não gosta, você é indiferente, eles somam, subtraem etc. E você tem que estar preparado para atender essa amostra, em qualquer dia da semana.

Tarifas muito acessíveis e flexíveis: outro grande aspecto destas instalações é que oferecem espaços flexíveis a um preço muito bom (cerca de 200 a 400 reais por mês). E para quem já tem um negócio estabelecido, espaços fixos ou mesmo “cubículos fechados” para uma ou mais pessoas (ou uma pequena empresa como um todo).

Direito a usufruir de uma sala de reuniões: a tarifa de aluguer normalmente dá direito a um mínimo de horas semanais de utilização de um escritório. Isso é ótimo se você precisa de visitantes.

Serviços de escritório, fora de casa, sem pagar escritório: esta é a outra grande vantagem destas facilidades. Eles têm de tudo: impressora, scanner, máquina de café etc.

 

Inconvenientes de um coworking

Agora listamos as desvantagens que vemos nesta forma de organizar o trabalho

Você tem que se deslocar: a principal desvantagem de um coworking é que, por ser um local de trabalho, é um espaço físico para o qual você tem que se deslocar. Ou seja, por sua própria fórmula, não há coworking virtual.

Portanto, se esse espaço for próximo a sua casa e você puder se locomover a pé ou de forma sustentável (bicicleta, scooter etc.), muito melhor, enquanto se você tiver que usar transporte público ou seu próprio carro ou motocicleta, então já perde muito da essência que o caracteriza.

Flexibilidade de tempo limitada: outra desvantagem deste modelo de trabalho é que os sites de coworking (pelo menos aqueles promovidos por empreendedores individuais) tendem a ter disponibilidade de tempo limitada devido à vida privada de quem os administra.

Nesse sentido, você descobre que o coworking tem uma programação semelhante à das empresas privadas: 40 horas semanais de segunda a sexta-feira, quando uma fórmula ideal seria exigir total liberdade de acesso em qualquer dia da semana e a qualquer hora.

Isso significa que o escritório de coworking pode não estar disponível em horas ou dias (fins de semana, feriados, férias) quando o freelancer provavelmente seria mais criativo. Por exemplo, às 7 da manhã, ou em uma manhã de sábado, ou em um domingo tarde. Outros pequenos coworkings também “cumprem o horário de verão”. Isso, conceitualmente, é impensável para o profissional, que gostaria de trabalhar “quando tem vontade”.

São pagos: outra desvantagem é que o coworking, obviamente, é um serviço pago. É verdade que muitos municípios promovem espaços abertos ao trabalho ou ao empreendedorismo, mas a essência de um ponto de encontro com serviços de todo o tipo é cobrar por eles.

Cuidado com o barulho:  sendo espaços abertos a todo tipo de pessoas e de uma forma muito flexível, haverá dias em que um “colega” chato aparece no coworking, que não para de dar telefonemas ou de se levantar, ou de tocar no lado a lado, ou mais mil problemas. Isso significa que haverá dias em que sua produtividade será muito afetada pelo surgimento desses tipos de companheiros de viagem.

 

Considerar

Quando você decide trabalhar em um coworking, você deve levar esses aspectos em consideração. O mais importante é que está a contratar um serviço de aluguer de espaço em instalações pelas quais deverá ser solidariamente responsável pela conta que lhe traz e na qual contrata uma série de obrigações:

Você deve assinar um contrato de aluguel para o espaço que vai ocupar. Certifique-se de que o proprietário das instalações (pessoa singular ou empresa) está perfeitamente identificado, bem como os seus dados pessoais ou da sua empresa.

Veja se os serviços a que você tem direito e a duração do contrato estão bem refletidos. Se as suas datas forem flexíveis (3 semanas no mês de X, o mês completo seguinte e 2 semanas no terceiro mês), certifique-se de que estão perfeitamente refletidas no contrato. Também as condições econômicas.

Como usuário, você é responsável pelo lugar que ocupa. Assim como quando você usa um quarto de hotel ou uma reserva no Airbnb, você deve deixar as instalações como as encontra todos os dias.

Isso inclui limpar sua mesa de trabalho ao sair (se você tiver uma posição flexível), limpar sua xícara de café, desligar as luzes e os condicionadores de ar e garantir a segurança de todos que ocupam esse espaço comum. Esta responsabilidade também se aplica às suas senhas ou meios de acesso às instalações onde trabalha. Não os forneça a ninguém.

É por isso que você pode precisar lançar um vínculo. Lembre-se que o depósito é responsável por qualquer irresponsabilidade ou negligência sua, tanto no pagamento da mensalidade que convencionou como se, por acidente ou fraude, causar danos às instalações.

Bens pessoais: se você trabalha em uma posição flexível, em uma área aberta com muito tráfego de pessoas, aconselhamos que deixe seus pertences (pelo menos seu PC e carteira) em um local seguro se for sair para um pouco, por exemplo, para comer fora.

Felizmente, os coworkings oferecem armários onde você pode deixar suas coisas. Não tenha certeza, que se em alguns escritórios da empresa, com colegas permanentes, os pertences pessoais desapareçam, em um coworking com certeza isso também.

 

Como seria o espaço ideal

Para nós, o coworking ideal seria aquele em que a entrada e a saída fossem absolutamente flexíveis, em qualquer dia da semana e hora do dia. O que o profissional busca é poder se beneficiar das instalações e dos serviços associados quando a inspiração de que precisam para trabalhar lhe vier, e não quando for conveniente para seus gestores.

Deve basear-se na corresponsabilidade de todos os seus componentes na abertura, fechamento, utilização das instalações em relação a terceiros etc. E para isso existem ferramentas de controle de acesso que permitem essa fórmula de trabalho flexível.

Outra característica que seria muito boa dependendo das circunstâncias, seria a flexibilidade de contratação por dias únicos que você poderia ter no seu lazer. Imagine que todas as segundas-feiras você vai viajar e, portanto, não pode usar as instalações. Um espaço de trabalho compartilhado seria bom, onde você pode compensar os dias perdidos sem ter que pagar mais.

E no social e na comunidade, seria aquele que colocaria todos os membros do espaço de trabalho em contato através de eventos periódicos (café ou comida comum, cervejas depois do escritório, grupo WhatsApp etc.) e claro, dar a conhecer os serviços que cada membro do escritório oferece no caso de haver interesses comuns a serem descobertos.