O rosário: Estar em comunhão com Jesus através da Santa Maria

O rosário Estar em comunhão com Jesus através da Santa Maria

Este artigo contém

Maio como o mês de Nossa Senhora e do rosário, uma prática devocional que se consolidou graças ao jesuíta Annibale Dionisi.

Como é bem conhecido por muitos de nós, maio é aquele mês do ano, que é dedicado à Virgem Maria e ao  Terço Sagrado, uma oração que não é só mariana, mas sobretudo cristológica, já que todos os Mistérios que compõem o rosário se concentram em Jesus.

Em 1212, o Rosário já era conhecido graças a São Domingos de Guzmán, que recebeu um terço de Rosário de Nossa Senhora, como ferramenta para derrotar heresias. Ainda hoje, o uso deste artigo religioso é visto como um convite caloroso e afetuoso para redescobrir a beleza de rezar o Rosário mesmo em casa.

 

O que é o Rosário?

O Rosário é retirado da palavra latina “rosarium” que significa “coroa de rosas” ou “guirlanda de rosas”. Para nós, membros da Fé Católica, o Rosário é uma forma de oração que usamos junto com suas contas de oração homônima. Ao se referir à oração, a palavra Rosário é geralmente capitalizada e quando se fala sobre as contas, a letra minúscula é usada.

De acordo com a tradição piedosa, a ideia do Rosário foi dada a São Domingos quando a Virgem Maria apareceu para ele em uma aparição no ano de 1214. Esta aparição mariana recebe o título de Nossa Senhora do Rosário. O padre dominicano e teólogo Alanus de Rupe promoveu a prática do Rosário estabelecendo as “quinze promessas do rosário” e fundando várias confrarias de rosário.

 

História

Desde a antiguidade, durante este período do ano muitos crentes iam, e ainda vão, em peregrinações aos santuários marianos.

No entanto, a partir do século XVIII, maio começou a ser associado com a Virgem Maria, e isso foi principalmente devido ao jesuíta Annibale Dionisi, um homem religioso proveniente da nobreza, que publicou uma obra intitulada “Il mese di Maria” (O Mês de Maria) em 1725, referindo-se ao mês de maio.

Essa prática devocional de Nossa Senhora só foi consolidada e enriquecida com a oração do rosário.

Outro jesuíta que contribuiu para a consolidação deste mês como o dedicado à Virgem Maria foi o Padre Alfonso Muzzarrelli, que em 1785 publicou ‘Il mese di Maria o sia di Maggio’ (O Mês de Maria ou Maio).

No entanto, antes do advento do rosário como um artigo religioso, os fiéis adotavam diferentes métodos para contar suas orações. Entre eles, havia aqueles que carregavam 150 pedras, até o uso de cordas com 50 ou 150 nós, a propagação da qual foi traçada desde o século III-IV, graças a Santo Antônio Abade e São Pachomius.

Além dessa devoção, havia também o costume de colocar uma verdadeira coroa de rosas nas estátuas da Nossa Senhora. Estes simbolizavam as orações mais “bonitas” e “perfumadas” que foram dirigidas a Maria.

Desde suas origens, o Rosário aproximou as pessoas da palavra de Deus, permitindo-lhes contemplar a vida de Jesus de forma mais íntima, em comunhão com Ele, através de Sua Mãe.

A recitação tradicional do rosário sempre foi uma característica das famílias cristãs, e desde os primórdios foi acompanhada pelos verdadeiros artigos religiosos do rosário, realizados em suas diversas formas.

Estes incluem as contas do rosário, o anel de rosário ou um saltério, que é um rosário com quinze dezenas separadas por diferentes contas ou imagens que retratam a paixão de Jesus.