Quem é um Stakeholder?

Quem é um Stakeholder

Quem é um Stakeholder? | Quando sua organização está falando sobre as pessoas que lhe interessam, você as ouve frequentemente chamadas de seu “público”? Ou, talvez você ouça o termo “público interessado” usado? Você pode pensar que eles são sinônimos e usados de forma intercambiável, mas existem algumas diferenças críticas.

A capacidade de uma organização de distinguir entre “quem é um público” e “quem é um stakeholder” é fundamental para o engajamento bem sucedido das stakeholders e, em geral, para atingir seus objetivos comerciais. Confira mais detalhes em nosso site.

Audiência vs. Stakeholder

Por definição simples, o público é o receptor das mensagens. Tipicamente, as organizações estão “empurrando” a informação para o público – distribuindo material sem nenhuma escuta em troca. Um exemplo comum é quando as empresas emitem comunicados à imprensa.

Elas têm informações sobre um evento, uma fusão ou aquisição, ou uma decisão política que é importante para seu público saber, mas muito provavelmente não estão à procura de um público que tenha pensamentos, comentários ou perguntas a pesar.

Quem é um Stakeholder?

As stakeholders são grupos ou indivíduos que são diretamente impactados pelas decisões e ações de uma organização. E, ao contrário de um público com uma relação unilateral, as stakeholders podem impactar uma organização com suas decisões e ações. É por isso que é importante que as organizações dediquem tempo e recursos para saber quem são as stakeholders, e ouvir suas stakeholders para ajudar a compreender suas expectativas. Então, essa organização pode compartilhar com suas stakeholders como ela está atendendo a essas expectativas, iniciando um diálogo.

As stakeholders incluem funcionários atuais, ex-funcionários, clientes, fornecedores, acionistas, investidores, ONGs, reguladores, formuladores de políticas, profissionais de marketing e o público em geral.

Envolvimento dos Stakeholders em ação

No mundo real, como as organizações estão falando sobre “aqueles que são importantes” para elas?

Um exemplo recente é iniciativas do governo em solicitar a contribuição das stakeholders sobre as necessidades e oportunidades emergentes nos mais diversos assuntos.

O objetivo da iniciativa é assegurar: 1) o amplo engajamento das stakeholders para alimentar ainda mais a conversa sobre como avançar na ciência transformadora, e 2) que os investimentos da organização sejam “inspirados pelo usuário”.

É claro que entendemos que os stakeholders podem impactar uma organização com suas decisões e ações e, neste caso, está procurando proativamente feedback para apoiar a realização dos objetivos.

Mas dadas as diferenças entre o público e as stakeholders em sua capacidade de impactar as organizações, ambos os termos são utilizados. De acordo com dados do Google nos últimos 18 meses, as empresas e a indústria tendem a utilizar o público e não as stakeholders, enquanto a tendência no governo tem sido o uso de stakeholders.

Qualquer mudança significativa que uma organização planeja empreender requer o engajamento de várias partes interessadas. Mesmo antes que uma organização possa embarcar na primeira fase de engajamento – conscientização – é fundamental para essa organização saber quem é parte interessada e compreender plenamente suas percepções atuais.

Somente então as organizações e partes interessadas podem se engajar autenticamente em conversas, capacitando as partes interessadas a defender a organização e, em última instância, contribuir para o alcance de suas metas.